APCD - Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas

Estudo traz novas orientações para avaliação de gravidade de câncer da cavidade oral

Impacto independente o peso do número de linfonodos metastáticos na sobrevida foi investigado e os resultados foram aplicados para estabelecer novas e melhores orientações

Em um estudo, pesquisadores do Cedars-Sinai Medical Center atribuíram reavaliar as regras de classificação existentes do câncer de cabeça e pescoço. Isso aconteceu pois o estágio do sistema atual do câncer de cabeça e pescoço inclui o tamanho do linfonodo e lateralidade, mas incide menos sobre o número total de nódulos metastáticos positivos.
Durante décadas, os médicos previam a progressão do câncer de cabeça e pescoço com base no tamanho do nódulo, localização e quanto o câncer se espalhava para além dos linfonodo, mas eles agregaram menos importância ao número de nódulos cancerosos. Como resultado, estágio e recomendações de tratamento, com base nas atuais orientações nacionais, “são os mesmos, se um paciente tem dois ou 20 linfonodos positivos,” disse Zachary Zumsteg, professor assistente do Departamento de Radiação da Oncologia do Cedars-Sinai, autor sênior do estudo.

O estudo, que envolveu a revisão de dados de 14.554 pacientes dos EUA identificados no Banco de Dados Nacional do Câncer que foram tratados para carcinoma de células escamosas da cavidade oral (boca, gengiva e língua) entre 2004 e 2013, concluiu que um aumento do risco de morte foi associado a cada linfonodo canceroso encontrado. Os investigadores completaram que o número de linfonodos cancerosos, predominante é um fator independente associado com a morte nesses pacientes.

Com o novo sistema, com base no número de linfonodos cancerosos, os pacientes são divididos em grupos de tamanho similar com resultados distintos. “Nosso estudo demonstrou uma melhor maneira de avaliar a gravidade do câncer, que irá melhorar a nossa capacidade de prever resultados e dar aos pacientes um tratamento mais personalizado”, reiterou Zumsteg.

“Embora considerar o número de linfonodos cancerosos no estágio seja um conceito simples que muitos especialistas em câncer de cabeça e pescoço têm assumido como verdadeiro por anos, os dados têm sido limitados até agora,”  acrescentou o pesquisador. Os autores do estudo disseram que têm esperança de que, com base nos novos dados, o número de nódulos positivos no estágio será agora incorporado na prática clínica. “Quanto maior o número de linfonodos malignos, menos favorável as chances de sobrevivência dos pacientes”, disse  Allen Ho, diretor do programa “Head and Neck Program” do instituto “Samuel Oschin Comprehensive Cancer Institute” no Cedars-Sinai e principal autor do estudo. “Esta nova abordagem poderia simplificar drasticamente o sistemas de estágio,” ele adicionou.

O número de nódulos metastáticos é um preditor crítico de mortalidade por câncer da cavidade oral, eclipsando outras características como tamanho linfonodal e contralateralidade quando se trata de prognóstico. Quanto mais robusta a incorporação da margem do número de linfonodos mestatáticos pode aumentar o estágio e melhor informar decisões de tratamento adjuvante.

Fonte: Dental Tribune

Veja também

Clube de benefícios
+

Câmeras e assessórios com descontos.

20% de desconto

Saiba mais

Desconto exclusivo na Loja ASUS é aqui!

Até 15% de desconto

Saiba mais

Outlet de moda Nº1 no Brasil.

Descontos Especiais!

Saiba mais

Impressos para Dentistas com desconto exclusivos!

10% de Desconto

Saiba mais