A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Undefined index: HTTP_ACCEPT_LANGUAGE

Filename: hooks/lang.php

Line Number: 26

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at E:\inetpub\portalapcd2016\system\core\Exceptions.php:185)

Filename: libraries/Session.php

Line Number: 675

Portal APCD - Cientistas modificam molécula de leite materno para combater o câncer
APCD - Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas

Cientistas modificam molécula de leite materno para combater o câncer

Pesquisa se concentra na lactoferricina, um peptídeo presente no leite materno

Uma equipe de cientistas da Áustria conseguiu modificar uma molécula derivada de uma proteína do leite materno para que esta atue como detector e ataque as células malignas em certos tipos de câncer de difícil tratamento.

A pesquisa se concentra na lactoferricina, um peptídeo (um tipo de molécula) presente no leite materno e do qual já eram conhecidas suas propriedades antimicrobianas. O que os pesquisadores fizeram foi modificar essa molécula para que ela atuasse como detector de certos tipos de câncer que são de difícil tratamento, como o melanoma e o glioblastoma, um tipo de tumor cerebral.

Esta lactoferricina modificada é capaz de localizar a carga negativa da molécula fosfatidilserina presente na membrana das células cancerosas, aderir-se a ela e provocar sua morte, mas sem afetar as células saudáveis. "O maior desafio no processo de desenvolvimento foi encontrar o correto equilíbrio entre toxicidade e especificidade. Se os peptídeos são muito ativos, também atacam as células saudáveis", explicaram Dagmar Zweytick e Sabrina Riedl, dois dos integrantes da equipe de pesquisa.

A lactoferricina é um derivado da proteína lactoferrina, que é abundante no leite materno. A lactoferricina faz parte do sistema imunológico e é uma das primeiras defesas contra corpos estranhos, como bactérias e fungos. Seu uso na luta contra o câncer requer uma reestruturação de seus aminoácidos para conseguir a combinação correta.

A equipe da Universidade de Graz desenvolveu durante quatro anos de pesquisa 15 variantes da lactoferricina. Duas delas foram utilizadas em ratos aos quais foram transplantadas células cancerosas humanas.

Os cientistas observaram uma regressão média de 85% no caso do melanoma e de 50% no glioblastoma, em comparação com animais não tratados com o peptídeo lactoferricina modificado. Além disso, os ratos saudáveis tratados com esse agente não sofreram nenhum dano.

A equipe dirigida por Zweytick está trabalhando na melhoria desse agente e está colaborando com uma farmacêutica na preparação de estudos clínicos que começarão a partir de 2019.

 Fonte: Terra

Veja também

Clube de benefícios
+

Manipulamos todo tipo de medicamento.

Desconto de 20%

Saiba mais

Mix - looks e preços

10% em produtos selecionados + 5% nas compras acima de R$ 100,00

Saiba mais

Programa de Vantagens Dell!

O desconto é dado através de códigos de cupom e é progressivo de acordo com o valor da compra.

Saiba mais

O Souza Lima Ensino de Música é uma das mais...

50% de desconto na matrícula de cursos livres, técnicos e faculdade

Saiba mais